Procura

Contactos

 Os nossos e-mails:
 cidadaniaecasamento@gmail.com

 Para organização de debates:
debate@casamentomesmosexo.org

 Para envio de documentos:
documentos@casamentomesmosexo.org

 Contacto de imprensa:
imprensa@casamentomesmosexo.org


 A nossa morada:
 Apartado 50.003, 1701-001 Lisboa
 PORTUGAL

 

Ajude-nos

 Transferência bancária:

 NIB 0010 0000 4379 5060 0013 0

 

Milhares de pessoas em manifestação a favor do referendo. Semanário Sol online. Versão para impressão Enviar por E-mail
Sábado, 20 Fevereiro 2010 22:49

Milhares de pessoas desceram hoje a avenida da Liberdade, em Lisboa, e encheram meia praça dos Restauradores, numa manifestação convocada pela Plataforma Cidadania e Casamento a favor do referendo ao casamento entre pessoas do mesmo sexo

 

Por Agência LUSA/SOL 

 

manifestantes  

«Casamento é entre homem e mulher» e «a família unida jamais será vencida» foram algumas das palavras de ordem ouvidas enquanto a manifestação, que partiu pouco depois das 15h da praça do Marquês de Pombal, descia a avenida mais conhecida de Lisboa.

Segundo disse fonte da organização, estiveram presentes na manifestação «mais de cinco mil pessoas».

Os agentes da PSP presentes no local não adiantaram qualquer número, remetendo para o comando distrital da corporação, o qual não foi possível contactar até ao momento.

Na manifestação da Plataforma Cidadania e Casamento marcaram presença figuras públicas como o arquiteto Gonçalo Ribeiro Telles, o general Garcia Leandro, o deputado do CDS-PP Ribeiro e Castro e os antigos deputados centristas Luís Nobre Guedes e José Paulo de Carvalho, Dom Duarte Pio ou o reitor da Universidade Católica, Manuel Braga da Cruz.

Já na praça dos Restauradores, cartazes com frases como 'Pelo casamento, pela família, exigimos o referendo' e bandeiras de Portugal, agitaram-se ao som do êxito das Sister Sledge, We are family.

Junto ao cinema São Jorge, sensivelmente a meio da avenida da Liberdade, uma pequena ??contra manifestação?? esperava a iniciativa organizada pela Plataforma Cidadania e Casamento, o que gerou alguma tensão e levou à mobilização de um maior número de agentes para o local.

Rui Duarte, um dos presentes na 'contra manifestação', adiantou que a concentração foi convocada por mensagem de telemóvel e pelas redes sociais e não partiu de nenhuma associação LGBT em concreto, apesar de estarem vários membros presentes na avenida da Liberdade.

 

Ler notícia no contexto original